63e0ae8e-d959-42a2-a9f9-dd02fc20b3ca

O Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene), por meio do seu diretor-geral, Nilson Borges, realizou sua primeira live na última segunda-feira (8/6), com o senador Carlos Viana (PSD). O tema “Impactos da Covid-19 e segurança hídrica” se ampliou e trouxe outros assuntos de interesse da região de abrangência do Idene, como infraestrutura e investimentos privados para a indústria.

Nilson Borges ressaltou o trabalho do Idene, integrado ao Sistema Estadual de Desenvolvimento Econômico, numa área que alcança o norte e o nordeste de Minas Gerais e uma parte do Vale do Rio Doce, totalizando 258 municípios. Aproveitou para falar do plano de desenvolvimento que o Idene vai liderar a pedido do governador Romeu Zema, aproveitando estudos e informações já disponibilizados.

Trabalho do Idene para levar água a quem precisa não para

Ele fez observações sobre os projetos de segurança hídrica que continuam em execução, como a perfuração de poços artesianos, instalação de cisternas e doação de caixas metálicas e tubos, até porque a água se faz ainda mais necessária em tempos de pandemia, quando a higienização se torna imprescindível o tempo todo. “Estamos levando água a quem mais precisa, pois sabemos o quanto ela é essencial”, disse Borges.

O diretor-geral do Idene falou da importância da presença do senador Carlos Viana na live e da participação dele em projetos fundamentais para Minas Gerais. Viana disse que o parlamento agiu rápido ao votar todas as propostas para o enfrentamento da Covid-19. “Essa pandemia vai marcar época, não somente pelas mortes, mas porque ela jogou luz sobre um Brasil que não conhecíamos”, observou o senador ao reconhecer a existência de dezenas de milhões de brasileiros que até então eram invisíveis e que precisam ser assistidos não apenas com o auxílio emergencial.

Infraestrutura para o desenvolvimento

O senador trouxe boas notícias para a infraestrutura, como o início do asfaltamento do trecho da BR-367 que liga Almenara a Salto da Divisa, estrada que nasce em Gouveia (MG) e termina em Santa Cruz de Cabrália, na Bahia. O começo da pavimentação desse trecho traz esperança, pois será fundamental para a região começar a trabalhar com fruticultura que poderá ser escoada pelo porto de Ilhéus para exportação. Nesse ponto, entre outros, Viana considera fundamental a participação do Idene para estimular a região a se organizar para esse desenvolvimento.

Ainda na infraestrutura, o senador disse que trabalha para que a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL) seja uma realidade em Minas Gerais e a BR-030 volte a fazer parte do estado, pois por decreto ela foi retirada no governo Dilma Rousseff. Há uma boa expectativa do asfaltamento de Manga – São João das Missões – Itacarambi na BR-135, em audiências com o ministro Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) e a retomada das obras da barragem de Jequitaí para resolver a segurança hídrica de quase 600 mil pessoas de 12 municípios. São R$75 milhões no orçamento da União.

No plano estadual, o senador disse que tem conversado com o secretário Marco Aurélio (Infraestrutura) para a pavimentação da estrada que liga Urucuia – Pintópolis (BR-251) utilizando recursos da cessão onerosa. Viana aproveitou para dizer que a situação do metrô de Belo Horizonte terá uma solução definitiva para ser ampliado e atender melhor à população.

Indústria de alimentos no norte de Minas

O diretor-geral do Idene questionou o senador sobre uma indústria de alimentos que poderá se instalar no norte de Minas. Viana disse que alguns lugares estão sendo visitados e que os empresários vão a Nova Porteirinha, município e região com potencial em razão do polo de fruticultura. A expectativa é da geração de mais de 1000 empregos diretos para o processamento de frutas e até mesmo a criação de um distrito industrial na região.

Nilson Borges agradeceu a participação do senador Carlos Viana e as boas notícias do trabalho por Minas Gerais no parlamento. Já o senador se despediu se colocando à disposição do Idene e fazendo elogios ao governador Romeu Zema pela condução equilibrada do Estado em um momento tão delicado e difícil para todos.